The Boinas: A primeira churreria vegana do Brasil é um delírio de sabores

Eu estou muito feliz por ver essa dupla de Campinas conseguir abrir um ponto fixo na maior cidade gastronômica do país. Entrei pela primeira vez no espaço feito com muito carinho por eles e estava tocando Liniker, só aí já me conquistaram.

Claro, não foi apenas por isso. Conheci os dois há um ano, no mesmo bairro, e posso dizer que, em primeiro lugar, eles me cativaram pela indescritível energia que transmitem para cada pessoinha que atendem. Os sorrisos e a entrega em mostrar um trabalho tão lindo é de aquecer a alma.

Caroline e Thiago idealizaram a The Boinas, a primeira churreria vegana do Brasil. No cardápio, salgados saborosos, bolos de cair o queixo, chocolate quente com calda especial, frappuccino que não deixa nada a desejar para a Starbucks e muito amor envolvido.

O ambiente galáctico é a cara do projeto que começou com um carrinho de churros que subiu e desceu as ruas de São Paulo e Campinas muitas vezes. À meia-luz, com plantinhas nas mesas e paredes com constelações pintadas por eles, o espaço nos leva à uma viagem para um cantinho afetivo da nossa memória e coração. Não dá vontade de sair de lá.

Na correria com o estabelecimento funcionando há apenas alguns dias, eles já estão lotados de clientes que certamente fazem aquele “huuuuum, isso é bom mesmo”. Não basta ser gostoso, a gente sente da calçada o cheirinho do açúcar com canela e todo esse amor e dedicação.

A dupla conta que, em breve, deve abrir o segundo andar do local para unir atrações culturais, rodas de conversas e expositores para ocuparem a casa com boas atrações e mais plantinhas. A ideia é deixar uma casa com dois ambientes, conectados pelo sabor inconfundível do churros cósmico.

Já sabe o programa para o fim de semana, né? Passa lá na Rua Cardeal Arcoverde, 1761, em Pinheiros (diversas linhas de ônibus na rua e estação do metrô mais próxima há menos de 100 metros – na Fradique Coutinho). Aberto de sexta à domingo, das 14h às 20h.

Boa sorte, The Boinas! 💜

Facebook: http://facebook.com/theboinas

Instagram: http://instagram.com/theboinas

Anúncios

Chef vegana vence duelo e garante vaga no ‘MasterChef Profissionais’

Após um duelo difícil, a chef vegana Adriana Avelar, também conhecida como Drica Avelar, conquistou a dólmã e é a nova participante da edição 2018 do “MasterChef Profissionais”. Ela é a primeira vegana a passar na seletiva da versão brasileira do programa exibido pela TV Bandeirantes.

No embate, as chefs Adriana e Mariana precisavam reinventar um filé mignon à poivre, o transformando em vegetariano. Adriana preparou uma alcachofra recheada de shitake ao molho poivre com aspargos grelhados, substituindo o prato original. A jurada Paola Carosella disse que foi uma decisão difícil, mas que a ideia de trocar a carne pela alcachofra foi boa. O molho foi bastante elogiado pelos jurados.

Na internet, teve gente que comemorou a entrada de uma competidora vegana no programa.

https://twitter.com/corpsecake/status/1034624381182468096

Adriana enfrentará mais dificuldades pelo caminho, mas se mostrou preparada para os novos desafios do programa. “Essa emoção é única”, contou a chef após vencer o duelo e ganhar a dólmã. Parabéns e boa sorte, Drica!

Chef vegana participa da seletiva do ‘MasterChef Profissionais’ 2018

O programa de competição culinária da TV Bandeirantes terá um duelo de uma chef vegana na edição da próxima terça-feira (28). A Chef Drica Avelar, 35 anos, é graduada em Engenharia de Alimentos pela Unicamp e Chef formada pela Le Cordon Bleu Austrália. Em seu canal no YouTube, ela se diz vegana e apaixonada por compartilhar conhecimento.

Drica deixou de comer produtos de origem animal em janeiro de 2018 e reformulou a sua cozinha para plant-based. A chef começou o seu canal de vídeos na internet em março de 2015, somando mais de 300 receitas e 73 mil seguidores. No seu Instagram, Drica possui 10 mil seguidores.

View this post on Instagram

Quem mais está se despedindo da jaca com muitos beijinhos??? Ela esteve em alta em janeiro, em fevereiro ainda tinha um pouco e de agora em diante vai ficar difícil encontrar jaca por aí… ainda é possível encontrar claro, mas é mais raro. 🍈 Confesso pra vocês que eu passei muitos anos da minha vida com super preconceito sem nem saber que gosto jaca tinha. Um dia em 2014 contei isso a um cliente, ele saiu, comprou jaca na banca e trouxe na hora pra mim e ali na minha frente disse "prove, se você não gostar eu não vou insistir, juro" Eu não tenho palavras pra agradecer o que esse cliente fez por mim, o universo de sabores que se abriu pra mim com aquela simples bandeja de jaca. 🍈 Depois disso descobri a carne de jaca verde cozida que é espetacular, tem gosto totalmente neutro, consistência de um frango desfiado (sem aquele gosto de sangue) e assim minha paixão por jaca cresce a cada nova estação. 🍈 Eu vejo as jacas no pé no meio de uma cidade caótica como São Paulo e penso: a natureza é mesmo muito perfeita né? Sem ninguém regar, podar ou cuidar ainda assim essa árvore dá tantos frutos lindos e saborosos! 🍈 Uma pena mesmo é que nós brasileiros temos preconceito e não sabemos aproveitar as riquezas naturais que temos, especialmente os mais pobres e moradores de rua porque olha se eles desse uma única chance pra jaca como eu dei em 2014 saberiam que poderiam passar o mês de janeiro todinho a jaca, uma fruta doce, nutritiva e completa! 🍈 Eu amo jaca e nunca vou deixar de dizer o quanto sou grata por ter essa fruta maravilhosa em abundância no meu país! 🍈 E você, já venceu seu preconceito? Corre que ainda dá tempo! #jaca #jackfruit #amojaca #plantbased #gohealthy #govegan #dricanacozinha

A post shared by Chef Vegana | Drica Avelar (@dricavelar) on

Por ser uma competição carnista, onde o único menu autoral é o da final do programa, a chef deve enfrentar enormes desafios e precisa estar psicologicamente preparada para isso. A sua intenção talvez seja mostrar que a culinária vegana é variada, rica em nutrientes e também pode quebrar o preconceito das pessoas sobre a cozinha vegetariana, dando visibilidade para o movimento na TV aberta.

O programa não possui um horário exato para começar, mas geralmente inicia por volta das 22h30.