A morte do Rio Paraopeba: “Já tem muitos peixes chegando à margem pedindo socorro”

Os povos indígenas que habitam a região do rio Paraopeba, em São Joaquim de Bicas, atingido pelo mar de rejeitos da Vale, estão preocupados com a saúde das águas e lutam por suas terras ameaçadas.

O cacique da reserva indígena Naô Xohâ, Pataxó Hã-Hã-Hãe, denuncia que os animais do rio já estão morrendo pela contaminação de materiais rejeitados da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, após o rompimento da barragem na sexta-feira (25).

Habitantes da aldeia indígena Naô Xohâ observam o Rio Paraopeba, atingido pelos rejeitos da Vale. (Foto: Lucas Hallel)

A aldeia está localizada a 26 Km da barragem que se rompeu e as informações inciais falavam sobre a remoção dos habitantes da aldeia, mas eles insistem em ficar para proteger os animais, o rio e suas terras devastadas.

“A água ontem estava clara, mas hoje está vermelha escura. Já tem um bocado de peixe morto, boiando, com a boca pra fora pedindo socorro”, disse angustiado Pataxó Hã-Hã-Hãe.

Os povos da região são historicamente ameaçados pela indústria da mineração e pelas fazendas de gado. Movimentos sociais, como o MST, que possui um acampamento na região, somam esforços em proteção à aldeia Naô Xahâ.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, disse que amostras foram colhidas em 47 pontos do Rio Paraopeba para atestar a saúde das águas. O resultado deve ser divulgado na próxima quarta-feira (30).

*Fotos cedidas gentilmente por Lucas Hallel, que esteve em São Joaquim de Bicas ao lado dos povos de Naô Xohâ.

Anúncios

MP obriga Vale a resgatar animais atolados em Brumadinho; veja como será o resgaste

Dois dias após o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão na cidade de Brumadinho, Minas Gerais, o Ministério Público de Minas Gerais acatou pedido de liminar do deputado estadual Noraldino Júnior (PSC/MG) que obriga a Vale a montar planos de resgate dos animais atingidos pelos rejeitos.

SAIBA COMO AJUDAR AS VÍTIMAS EM BRUMADINHO

Uma base de apoio foi montada ao lado do quartel-general do Corpo de Bombeiros, mas com a recusa do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, em oferecer aeronaves do estado para ajudar a salvar os animais, o deputado Noraldino Junior entrou com uma liminar no MP para garantir os resgates dos animais não-humanos. A liminar foi aceita no sábado (26).

“Existem muitos animais agonizando em meio à lama, razão pela qual buscamos uma liminar na Justiça para assegurar que a Vale contrate imediatamente equipe e equipamentos capazes de resgatar todos estes animais, permitindo que o Corpo de Bombeiros dê prioridade às vidas humanas”, comentou Noraldino.

Macaco sujo de rejeitos da Vale. (Imagem: Reprodução/Record TV)

Profissionais ligados ao Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais aguardam liberação da área e das estradas próximas, que foram restritas pelo Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, para começar o resgate de animais atingidos pela catástrofe.

Desde a tarde de sexta-feira, ativistas e profissionais veterinários tentam salvar animais atolados na chamada “área quente”, onde o mar de rejeitos devastou casas, plantações, matas e locais onde ficavam os animais. Também há o risco da barragem VI do complexo Mina Córrego do Feijão romper, o que deixa a situação da área de buscas ainda mais delicada.

CASEIRO ARRISCA VIDA PARA SALVAR GALINHAS EM BRUMADINHO

Segundo informações de profissionais veterinários que sobrevoaram a região, a maioria dos animais é de pequeno porte, como peixes e anfíbios, mas existe um número incalculado de galinhas, cães, vacas, bois, cavalos, entre outros, que estão presos nos rejeitos.

A Vale informa que cedeu 1 helicóptero para as equipes de busca e resgate de vítimas humanas e não-humanas, mas não confirmou se algum animal foi resgatado até o momento. Santuários próximos a Brumadinho disponibilizaram suas propriedades para acolher os animais resgatados.

O CRMV/MG pede apoio de profissionais voluntários para auxiliar nos resgates dos animais, assim que a área for liberada pelas autoridades. Segundo relatam os veterinários no local, a empresa assumiu os custos das operações de resgate dos animais.

Vítima dos rejeitos em Brumadinho. (Imagem: AFP)

Caseiro arrisca a vida para resgatar galinhas presas nos rejeitos em Brumadinho

A história emocionante de um caseiro que sobreviveu à tragédia em Brumadinho, onde uma barragem da Vale rompeu na última sexta-feira (25), está trazendo um conforto em meio às notícias devastadoras.

Seu Jumercindo avistou a enxurrada se aproximando e arriscou sua vida para salvar algumas galinhas que estavam em sua propriedade. “Eu vi o olho de outra galinha piscando, de pé, em cima do barro, e decidi voltar”, contou o morador em entrevista à TV Globo.

VEJA OS LOCAIS DE COLETA DE DOAÇÕES PARA AS VÍTIMAS EM BRUMADINHO

Ele disse que se sensibilizou ao ver a galinha viva que poderia ser arrastada pelo mar de rejeitos e decidiu salvá-la. “Eu preciso salvar essa galinha, é uma vida, não é justo, ela não pode ficar ali”.

Durante o resgate, Jumercindo encontrou outras duas aves que estavam presas e também salvou suas vidas. Elas estão em observação. “Toda vida merece ser salva”, disse emocionado.

Veja os pontos de coleta de doações e o que fazer para ajudar as vítimas em Brumadinho

Voluntários e entidades civis se mobilizam para ajudar a salvar vidas de humanos e não-humanos após o rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho, Minas Gerais, na última sexta-feira (25). Muitas pessoas estão confusas e não sabem como ajudar em meio ao acontecimento que devastou o país. Vou tentar ajudar!

A Fundação Hemominas pede doação de sangue do tipo O negativo (considerado universal) para suprir a demanda dos hospitais e postos de atendimento da região. Em virtude da urgência, o Hemocentro de Belo Horizonte, localizado na Alameda Ezequiel Dias, 321, no bairro Santa Efigênia, funcionará sem horário de encerramento neste sábado (26). Os demais postos de coleta da Hemominas funcionarão em horário normal.

ONG Bendita Adoção, em conjunto com outras ONGs e protetores, disponibilizou 1 vaga para animais de grande porte (como vacas e cavalos), 20 vagas para animais de médio porte (como ovelhas e cabras) e 33 vagas para animais de pequeno porte (cães e gatos). Uma van será fretada para o transporte dos animais. Você pode ajudar com as despesas? Entre em contato com a Beatriz Silva.

O Coletivo Transformar, organizado também pela ativista pelos direitos dos animais e ex-candidata ao Senado por MG, Duda Salabert, pede doações via Catarse para ajudar às vítimas em Brumadinho. Você pode doar acessando este link: https://www.catarse.me/brumadinhogritasocorro

A rede de veterinários Pet Care começou uma campanha para arrecadar alimentos e produtos para os animais atingidos em Brumadinho. Estão recolhendo itens como rações, medicamentos, cobertores e toalhas, entre outros que poderão ser doados em todas as unidades da rede. Encontre uma loja mais próxima de você aqui: http://petcare.com.br/unidades/

Os voluntários pedem doações de:

– Água
– Alimentos não perecíveis
– Roupas e cobertores
– Medicamentos humanos e veterinários
– Bebedouros e comedouros para animais 
– Rações para todas as espécies (de cães, gatos, equinos, bovinos, aves, etc)
– Artigos de higiene pessoal e limpeza
– Itens de primeiros socorros humanos e veterinários

Veja os locais que estão recolhendo doações para as vítimas em Brumadinho:

➡️ Brumadinho (MG)

PARÓQUIA SÃO SEBASTIÃO
Avenida Barão do Rio Branco, 165

FACULDADE ASA
Rodovia MG-040, Km 49

➡️ Belo Horizonte (MG)

CRMV-MG
Rua Platina, 189

CÂMARA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE
Avenidas dos Andradas, 3100

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO UNIBH
Rua Libero Leone, 259

DIRETÓRIO ACADÊMICO MEDICINA VETERINÁRIA DA UFMG
Avenida Presidente Carlos Luz, 5180

NEWTON PAIVA – UNIDADE CARLOS LUZ
Avenida Carlos Luz, 220

NEWTON PAIVA – UNIDADE BURITIS
Avenida José Claudio Resende, 420

NEWTON PAIVA – UNIDADE SILVA LOBO
Avenida Silva Lobo, 1730

FEAD
Rua Professor Otílio Macedo, 12

ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE
Rua Além Paraíba, 208

BH SHOPPING
Rodovia BR-356, 3049

DIAMOND MALL
Avenida Olegário Maciel, 1600

PÁTIO SAVASSI
Avenida do Contorno, 6061

➡️ Contagem (MG)

18º BATALHÃO DA POLÍCIA MILITAR
Avenida João César de Oliveira, 5400

2º BATALHÃO DO CORPO DE BOMBEIROS
Avenida João César de Oliveira, 3744

➡️ Betim (MG)

PARTAGE SHOPPING BETIM
Rodovia Fernão Dias – KM 492

CRAS – UNIDADE ALTO DA BOA VISTA
Rua Ana Neri, 151

ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO À MATERNIDADE, INFÂNCIA E VELHICE
Rua Edmeia Mattos Lazzarotti, 1505

UNA
Avenida Governador Valadares, 640

46º BATALHÃO DA POLÍCIA MILITAR

➡️ Maceió (AL)

PARQUE SHOPPING MACEIÓ

➡️ Distrito Federal

PARK SHOPPING

➡️ Salvador (BA)

SHOPPING PARALELA

➡️ Fortaleza (CE)

SHOPPING PARANGABA

➡️ São Luís (MA)

SHOPPING DA ILHA

➡️ Belém (PA)

BOULEVARD SHOPPING BELÉM

PARQUE SHOPPING BELÉM

➡️ Teresina (PI)

SHOPPING RIO POTY

➡️ São Paulo (SP)

ASSEAMA
Rua França Pinto, 78
Rua Manuel de Moura, 63
Rua Simão Álvares, 913

MATILHA CULTURAL
Rua Rêgo Freitas, 542

NATURE DOG HOUSE
Avenida Jamaris, 1092

CENTRO DE ADOÇÃO NATUREZA EM FORMA
Rua General Jardim, 240

MORUMBI SHOPPING

SHOPPING VILA OLÍMPIA

SHOPPING ANÁLIA FRANCO

Porto Alegre (RS)

GINÁSIO TESOURINHA

BARRA SHOPPING SUL

➡️ Curitiba (PR)

PARK SHOPPING BIRIGUI

➡️ Vila Velha (ES)

SHOPPING PRAIA DA COSTA

BOULEVARD SHOPPING

➡️ Rio de Janeiro (RJ)

CLÍNICA VETERINÁRIA VET ANGEL’S
Av das Américas, 16401

PET EXPRESS
Estrada do Cubuçú, 1120

BARRA SHOPPING

NEW YORK CITY CENTER

SHOPPING LEBLON

CARIOCA SHOPPING

SANTA CRUZ SHOPPING

VIA PARQUE SHOPPING

VILLAGE MALL

BANGU SHOPPING

➡️ São Gonçalo (RJ)

SÃO GONÇALO SHOPPING

PÁTIO ALCÂNTARA

➡️ Campo Grande (RJ)

PARK SHOPPING

➡️ Duque de Caxias (RJ)

CAXIAS SHOPPING

➡️ Campos dos Goytacazes (RJ)

BOULEVARD SHOPPING CAMPOS

Barragem da Vale se rompe em Brumadinho e causa outro colapso ambiental em MG

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu nesta sexta-feira (25) em Brumadinho, Minas Gerais, e causou mais um desastre ambiental de enormes proporções.

VEJA COMO AJUDAR AS VÍTIMAS EM BRUMADINHO

Segundo informações dos moradores que conseguiram sobreviver ao colapso da barragem, há relatos de animais humanos e não-humanos soterrados pelo mar de lama. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil estão no local e realizam buscas. Moradores da região mais baixa da cidade estão sendo retirados.

No começo da tarde, o chamado dos bombeiros tratava de uma barragem de rejeitos e que haveria um considerável número de vítimas. Informações iniciais são de 200 pessoas desaparecidas na região, entre funcionários da Vale, moradores e turistas.

Há três anos, o rompimento da barragem da Samarco em Mariana, Minas Gerais, causou o maior desastre ambiental do país, deixando dezenas de humanos mortos, um número incerto de animais soterrados e a chamada morte do Rio Doce.

Doria veta PL que determinava identificação de produtos de origem animal em supermercados

Após muitas discussões na Assembleia Legislativa de São Paulo para ser aprovado no ano passado, o governador do estado, João Doria (PSDB), vetou integralmente o projeto de lei de autoria do deputado estadual Feliciano Filho (PRP), que obrigaria às empresas a identificarem nas gôndolas de supermercados os produtos e seus componentes de origem animal e se os mesmos também foram testados em animais.

Caso fosse sancionado, os estabelecimentos comerciais do estado indicariam, em destaque nas gôndolas, uma das seguintes expressões, dependendo do caso: “produto de origem animal” ou “componente do produto de origem animal” ou “produto testado em animal” ou “componente do produto testado em animal” ou “produto produzido a partir de teste em animal” ou “componente do produto produzido a partir de teste em animal” ou “produto contendo resquícios de ingredientes de origem animal”.

O projeto de lei 684/2018 foi aprovado em 12 de dezembro de 2018, ainda na gestão do ex-governador Marcio França (PSB), mas foi vetado apenas no último dia 17 de janeiro pela atual gestão tucana. Segundo o autor do PL, a proposta daria mais transparência para os consumidores, já que é dever do Estado promover a educação sobre a alimentação da população, atendendo aos princípios da informação e da dignidade da pessoa humana garantidos na Constituição da República.

Luisa Mell e ativistas flagram cenas de crueldade em abatedouro de porcos em SP

Ativistas pelos direitos dos animais realizaram uma ação em um abatedouro de porcos em Carapicuíba, Grande São Paulo, e flagraram imagens perturbadoras de maus-tratos e extrema violência contra os animais que são vítimas da indústria pecuária. Nas filmagens e captação de áudios, é possível ouvir os gritos das vítimas, que estavam amontoadas dentro do veículo de transportes.

Por volta das 3:30 de sábado (19), alguns representantes de Organizações Não-Governamentais e protetores dos animais, como Luisa Mell e Beatriz Silva, chegaram à entrada do Frigorífico Rajá. Ainda do lado de fora, era possível ouvir os gritos dos animais que estavam dentro de um caminhão que ingressou um pouco antes dos ativistas no local. Segundo os presentes, os funcionários estavam agredindo os porcos para saírem do veículo, uma prática comum.

Segundo informações disponibilizadas pela Prefeitura de Carapicuíba e por serviços de informação, o abatedouro Rajá se encontra em região de perímetro urbano, na Avenida Francisco Pignatari, o que é proibido por lei, denunciam ativistas. Aos prantos, as pessoas ofereciam água aos animais que apresentavam sinais de sede. É possível ver nos vídeos alguns porcos sangrando.

Em 2015, um grave acidente no Rodoanel, em São Paulo, deixou dezenas de animais mortos após a carreta que transportava porcos do abatedouro Rajá tombar na rodovia. Alguns sobreviventes foram resgatados e adotados por um Santuário em São Roque, interior de São Paulo.

Ativistas em frente ao Frigorífico Rajá, em Carapicuíba. (Foto: Reprodução/Luisa Mell)

Prometida para os ruralistas, Bolsonaro retira a demarcação de terras indígenas e quilombolas da Funai

Como uma das primeiras medidas tomadas pelo recém-empossado presidente, Jair Bolsonaro (PSL), o Ministério da Agricultura agora é responsável por identificar, delimitar e demarcar terras indígenas e quilombolas, funções que eram atribuídas até então pela Fundação Nacional do Índio (Funai) e pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

A campanha do presidente foi fortemente impulsionada por ruralistas que exigiam “facilidades” no novo governo, que prontamente atendeu aos pedidos, colocando em risco a existência dos órgãos de proteção aos povos históricos. A pasta da Agricultura também recebe o Serviço Florestal Brasileiro, antes vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, que gerenciava a proteção, a ampliação da cobertura florestal e incentivos de práticas sustentáveis nos territórios brasileiros.

A líder ruralista do governo e atual ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS), vai comandar um forte processo de desmonte das conquistas de preservação asseguradas nos últimos anos no Brasil.

Vereador diz ter provas de que outro funcionário do Carrefour envenenou cão

O vereador de Osasco, Ralfi Silva, afirmou há pouco ter provas de que outro funcionário participou da morte da cachorra Manchinha no supermercado Carrefour.

Segundo o vereador, um funcionário, que não teve a identidade revelada, teria oferecido mortadela com veneno para o animal, enquanto o segurança da loja teria de fato espancado a cachorra com uma barra de alumínio.

Em breve teremos mais informações.

Brasil ganha ‘prêmio’ crítico na ONU por falas de Bolsonaro em descumprir compromissos ambientais

Na última quarta-feira (5), durante a COP-24 do Clima, conferência da ONU que reúne diversos países que debatem assuntos ambientais, o Brasil recebeu um “prêmio” crítico pelas recentes falas do presidente eleito, Jair Bolsonaro, em descumprir os acordos climáticos firmados pelo país nos últimos tempos.

Junto com a Arábia Saudita, o Brasil ficou em primeiro lugar na votação que reuniu mais de mil ONGs ambientais e recebeu o “Fóssil do Dia”, uma crítica aos países que estão “travando” ou se posicionando contrários aos acordos ambientais firmados na Cúpula de Paris. Esta é a primeira vez que um presidente recebe o “prêmio” antes de ser empossado em seu país.

Em novembro deste ano, Bolsonaro disse que o Brasil não vai sediar a COP-25, a mais importante conferência do clima no mundo. Durante a campanha eleitoral, o presidente eleito disse que vai retirar o país do Acordo de Paris, assim como fez Donald Trump com os EUA.